Festival de Inverno de Bonito 2017 já tem data definida

Evento acontecerá de 27 a 30 de julho e irá homenagear a dupla regional Bete e Betinha. Foto: Divulgação

O 18º Festival de Inverno de Bonito já tem data definida. A realização da 18ª edição do Festival de Inverno de Bonito foi discutida em uma audiência pública no começo do mês de maio na cidade.

Dentre os temas abordados na reunião estão a data de realização do festival, de 27 a 30 de julho de 2017; os homenageados da edição, a dupla Bete e Betinha, além da importância da continuidade de evento, apesar das dificuldades financeiras do país, estados e municípios.

De acordo com secretário de Estado de Cultura e Cidadania, Athayde Nery, além do apoio do governo do Estado e da prefeitura, o festival deste ano deverá captar recursos junto à iniciativa privada, através da Lei Rouanet.

Para 2017, uma das novidades é a utilização do CMU (Centro de Múltiplo Uso), além da Praça da Liberdade. "Precisamos realizar um evento que conte com ampla participação da população, principalmente das crianças", afirmou Athayde. 

A audiência contou também com a presença de artistas e produtores culturais da cidade, além de secretários municipais, vereadores, e do secretário Adjunto, Tomaz Ramos Escrivano, do coordenador das festividades comemorativas dos 40 anos da criação de MS, Zito Ferrari e do presidente do COMTUR, Cícero Peralta.

Ainda não foram decididos os artistas que irão participar da 18ª edição.

Na edição passada o Festival de Inverno atraiu um público de 25 mil pessoas nos shows musicais realizados de 28 a 31 de julho. O evento contou com 83 atrações artísticas, sendo 62 realizadas por artistas locais e 21 por nacionais.

Fonte: Bonito Notícias

Receitas Merenda Pantaneira: Cueca Virada

Um delicioso quitute de origem Portuguesa que faz muito sucesso no Mato Grosso do Sul. Foto: Beto Nascimento

A cueca virada (também conhecida como ceroula virada ou orelha de gato ou coscorão) é um quitute típico no Mato Grosso do Sul, feito com massa de farinha de trigo e ovos, estendida em tiras largas e polvilhadas com açúcar.
Este é um quitute de origem Portuguesa, e foi introduzida no Brasil por colonos na época da civilização. 

O nome brasileiro é bem ao gosto galhofeiro do povo do Brasil, eis que aponta uma similitude na aparência de dupla trança do doce com a roupa íntima masculina quando é retirada do corpo após o uso. Outro nome Brasileiro para este doce é Cavaquinho, em referência a sua semelhança com o instrumento Musical.

Ingredientes:

03 ovos
02 xícaras  (chá) de leite
02 colheres (sopa) de margarina
01 colher (sopa) de nata
01 colher (sopa) de fermento em pó
01 pitada de noz-moscada
Farinha de trigo até dar o ponto

Modo de Preparo:

Misturar todos os ingredientes, menos o trigo e mexer bem. Misturar o trigo aos poucos até dar o ponto de modelar; modelar a gosto (uma sugestão é estenda-la em tiras e depois trança-las como desejar). Fritar em óleo bem quente; passar no açúcar misturando com canela.



Cueca Virada é servida em nossa Merenda Pantaneira, onde servimos quitutes deliciosos da culinária sul-matogrossense, que vão desde a famosa chipa, chipa frita, bolinho de souza, caburé, bolinho de polvilho, bolinho de chuva, canjica, arroz doce, torradas, bolo de fubá cremoso, geleias orgânicas, chás, sucos e até mesmo a famosa sopa paraguaia. Venha conhecer!

Imagem em atrativo de Jardim (MS) conquista segundo lugar em prêmio nacional

Registro de piraputangas comendo figos silvestres no rio Olho D’Água, localizado no Recanto Ecológico Rio da Prata, em Jardim (MS), competiu na categoria Imagens produzidas por câmeras fotográficas do VI Prêmio de Fotografia - Ciência e Arte.

O autor da foto é o biólogo, docente da Uniderp e idealizador do projeto “Peixes de Bonito”, José Sabino. 

Além de mostrar relações ecológicas, esta fotografia promove a visibilidade de um grupo animal percebido pela maioria das pessoas apenas como alimento. Mencione peixes e a associação com comida é imediata. Para a ciência, contudo, é notório que peixes representam muito mais. Em águas tão cristalinas, as piraputangas são um testemunho contundente que os peixes são provedores de serviços culturais, inspiração estética e fonte de lazer, contou o pesquisador.

“Café da manhã com frutos”, título da imagem, ficou em segundo lugar no concurso promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e competiu com outros 143 trabalhos pré-selecionados e avaliados por uma comissão de especialistas, considerando critérios como impacto visual, inovação, relevância da imagem para a pesquisa, contribuição para a popularização, divulgação científica e tecnológica, e qualidade estética.

O Projeto Peixes de Bonito envolve atividades de ecologia e comportamento de peixes e tem como objetivos a conservação da biodiversidade e uso sustentável dos rios do Planalto da Bodoquena.

Lagoa Misteriosa: uma das experiências mais incríveis na Serra da Bodoquena!

 A Lagoa Misteriosa está aberta pra a temporada 2017! Foto: Gisela Carvalho

Está programando sua viagem para Bonito e região, no Mato Grosso do Sul nos próximos meses?! Não esqueça de incluir a Lagoa Misteriosa em seu roteiro e venha se encantar pelas águas azuis e cristalinas do atrativo turístico localizado em Jardim (MS), a 45 km de Bonito.

Considerada a sétima caverna mais profunda do país, a Lagoa Misteriosa fica no fundo de uma dolina, um tipo de formação geológica similar a um buraco com 75 metros de profundidade. O atrativo recebe turistas do mundo inteiro que se encantam por sua transparência e profundidade.



A visão de um abismo azul, paredões de rocha vertical, troncos caídos e pequenos peixes que brilham sob os feixes de luz refletidos nas águas cristalinas transformam o atrativo em um lugar único e inesquecível, fato comprovado pela digital influencer Gisela Carvalho.

A Lagoa Misteriosa foi amor à primeira vista! Quanta beleza reunida em um só lugar! O mergulho com cilindro foi mágico! Descer a 20 metros naquele paredão imenso, de visibilidade inacreditável, foi inesquecível! Flutuar naquele imenso azul foi uma das experiências mais incríveis da vida, e um presente enorme no dia em que eu completava meus 30 anos de idade. Já conto os dias pra voltar pro paraíso! Obrigada por existir, Lagoa Misteriosa!, escreve.

Um atrativo para todos os gostos, a Lagoa Misteriosa oferece os passeios de trilha e flutuação; mergulho batismo (8 metros) indicado para quem não possui curso; e mergulho básico e avançado para quem possui as credenciais necessárias para a realização da atividade.

Independentemente do passeio realizado, os momentos vividos na lagoa ficam guardados na memória, como comprova Carol Schrappe, atleta e recordista Sul-americana de Mergulho Livre – Apnéia.




A Lagoa Misteriosa para mim, é um dos mais belos lugares do mundo para se mergulhar. E olha que já mergulhei em muitos lugares maravilhosos no mundo todo! A visibilidade na época do inverno é absurda, chegando a mais de 40 metros, isso quer dizer que mesmo mergulhando é possível ver as copas das árvores! Eu recomendo e assino embaixo. E volto sempre para recarregar as energias neste lugar mágico. O paraíso no meio do nosso Brasil!, conta Carol.



As atividades de flutuação e mergulho batismo devem ser retomadas em breve já que entre os meses de outubro a abril ocorre a proliferação de algas, processo natural, que causa um turvamento das águas da Lagoa Misteriosa cujo tom azul cristalino passa para o verde, impedindo a visibilidade.





Para o agendamento dos passeios, ou maiores informações consulte: www.aguasturismo.com.br, ligue (67) 3255-2332 ou whatsapp (67) 9 8111-8560








Assista o vídeo oficial do passeio: 



Descubra! Campo Grande (MS)



Campo Grande
é capital do estado de Mato Grosso do Sul. A cidade foi planejada em meio a uma vasta área verde, com ruas e avenidas largas. 


Relativamente arborizada e com diversos jardins por entre as suas vias, apresenta, ainda nos dias de hoje, forte relação com a cultura indígena e suas raízes históricas. Por causa da cor de sua terra (roxa ou vermelha), recebeu a alcunha de Cidade Morena. 

Confira abaixo o vídeo promocional feito pela SECTUR (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo):




No Turismo, Campo Grande dispõe de uma grande infraestrutura tanto para o turismo tradicional quanto para turismo de eventos e histórico. Oferece várias opções de hotéis e equipamentos de lazer rural e urbano, sendo considerado um importante ponto turístico em território brasileiro. Campo Grande é uma das opções por onde começa a aventura turística dos que se propõem a conhecer o Pantanal. 

Fonte: SECTUR